Live: Educação e a preservação do patrimônio histórico e cultural


De: Secretaria de Cultura
Texto: Peggy Maressa| Foto: Divulgação
Criado: 27 de julho de 2020

Temas relacionados ao patrimônio histórico e cultural de Vila Velha têm sido debatidos há duas semanas por educadores e público em lives promovidas pela Prefeitura de Vila Velha. O objetivo é sensibilizar a população sobre a importância de conhecer e preservar os espaços culturais, assim como resguardar a história, memória e a identidade. Na última quinta-feira (23), ocorreu o terceiro bate-papo virtual com o tema “Patrimônio Histórico como Enunciações Dialógicas”.

De acordo com o secretário municipal interino de Cultura, Peterson de Castro Cardoso, a live tem como proposta mostrar a importância do patrimônio histórico cultural para a construção do indivíduo. “Conhecer o patrimônio é a base do processo de desenvolvimento do sentimento de pertencimento. Vila Velha é a pauta de diálogo, importante espaço cultural e histórico do Estado”, explicou.
Durante o encontro, o professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), João Wanderley Geraldi destacou que para compreender o patrimônio histórico e cultural, de natureza material e imaterial, é preciso entender o passado.

“Um projeto educacional e cultural que envolva o patrimônio cultural de uma comunidade e, ao mesmo tempo aquilo que projeta para o futuro, deve-se olhar para o passado. Sonho com o futuro, o presente como vida e a história é o patrimônio que os outros nos deixaram como passado”, afirmou.

A professora do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alfabetização, Leitura e Escrita do Espírito Santo da Ufes (Nespales), Cleonara Maria Schwartz, enfatizou que o debate sobre patrimônio histórico está sendo pensado no âmbito de política pública.

“Esse é o diferencial, pois coloca em cena não apenas o bem em si, o patrimônio em si, isolado, mas os sujeitos que interagem com o patrimônio ao longo de toda a sua existência. O patrimônio histórico significa, enuncia, fomenta interações, produz memória que representam vivências. O patrimônio histórico cultural passa a ser parte da constituição da subjetividade”, disse.

A proposta do evento é também ampliar o conhecimento dos estudantes em sala de aula. Quem assistiu a live gostou. “É uma ótima iniciativa. Um excelente evento que oportuniza o professor a pensar na possibilidade de usar os espaços históricos e culturais para o ensino na sala de aula”, contou a professora Kaira Walbiane Couto Costa. 

O próximo encontro está previsto para ocorrer no dia 31 de julho, às 16h.

Serviço
Live – Patrimônio cultural e formação das identidades locais
Data: 31 de julho (sexta-feira)
Horário: 16 horas


SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO