Cultura: Vila Velha cria comissões de trabalho sobre Lei Emergencial Aldir Blanc


De: Secretaria de Cultura
Texto: Peggy Maressa| Foto: Felix Falcão
Criado: 24 de junho de 2020

Duas comissões de trabalho visando agilizar o recebimento e o repasse dos possíveis recursos da Lei Emergencial Cultural Aldir Blanc foram criadas em Vila Velha. A legislação ainda precisa da sanção da Presidência da República, mas a composição dos grupos já busca consolidar interesses de diversas frentes culturais na cidade, atualizar cadastros de artistas e entidades e debater formas de editas e chamamentos públicos.

As comissões foram compostas após uma webconferência ocorrida nesta terça-feira (23) com membros do Conselho Municipal de Políticas Culturais, artistas e representantes do setor da arte e cultura do município, além de servidores da Prefeitura de Vila Velha, especificamente da Secretaria Municipal de Cultura.

Para o secretário municipal interino de Cultura, Peterson de Castro Cardoso, as comissões são, além de relevantes, urgentes. “A criação das comissões vem para efetivar o trabalho desenvolvido. Vamos ampliar a capacidade de informações e conhecimentos da área da sociedade civil, dos artistas e produtores, para os editais e chamamentos públicos mais efetivos, que tenham a base para chegar a quem precisa nesse momento de emergência”, afirmou o secretário.

A criação das duas comissões foi sugerida pelo conjunto de gestores municipais, conselheiros e artistas que devem se reunir na próxima semana para discutir a Lei. Se aprovada, possibilitará por um período uma renda mensal para trabalhadores do setor cultural, além e prever um apoio financeiro para espaços artísticos e culturais.

Uma das organizadoras da webconferência Deb Shuclz considera que a Lei Aldir Blanc traz para Vila Velha uma renovação nas políticas públicas culturais. “Principalmente com nessa construção, realmente participativa da sociedade civil com o poder público, alinhamos vários setores da gestão municipal. As comissões são importantes porque, através delas, trabalharemos em rede. Ao mesmo tempo em que convocamos os segmentos para pensarmos juntos os editais adequados para as diferentes realidades, automaticamente, o mapeamento e cadastramento serão realizados”, disse.

Para o subsecretário Eliomar Mazoco esse processo de discussão da Lei está sendo muito importante para a mobilização do setor. “Importante que esta interlocução seja permanente e continue pós pandemia”, finalizou.
 
Leia mais: PMVV e artistas traçam meta para lei de emergência cultural 


SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO