Secretaria de Saúde entrega documentos a proprietários da creche


De: Secretaria de Saúde
Texto: Semsa/PMVV| Foto: Semcom/PMVV
Criado: 11 de abril de 2019

A Secretaria de Saúde de Vila Velha (Semsa) entregou nesta quinta-feira (11) aos proprietários da creche particular onde ocorreram casos de Doenças Diarreicas Agudas pela bactéria E.coli enterohemorrágica, documento contendo as condicionantes de procedimentos corretivos e preventivos de modo a permitir o retorno às atividades do estabelecimento.

As condições foram elaboradas pela Vigilância Sanitária da Semsa e contou com a contribuição técnica da Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e do Ministério da Saúde.

Assunto: Condições para desinterdição Senhores Proprietários

Considerando o Termo de Interdição nº 1849 e a necessidade de adotar procedimentos corretivos e preventivos de modo a permitir o retorno às atividades do estabelecimento;

Determinamos que sejam adotadas as seguintes medidas:

1) Substituir o reservatório de amianto localizado sobre a área do refeitório/cozinha por outra de material que não represente riscos à saúde, garantindo que o descarte seja ambientalmente adequado;

2) Contratar empresa especializada para realizar a higienização (limpeza e desinfecção) dos reservatórios de água e tubulação, devendo ser agendada reunião prévia da empresa contratada com as equipes da Vigilância Sanitária e Ambiental para instruções técnicas quanto à realização dos procedimentos no local;

3) Após a higienização dos reservatórios e da tubulação, apresentar laudo de análise microbiológica satisfatório, emitido por laboratório acreditado, com os seguintes parâmetros: bactérias heterotróficas, coliformes totais e termotolerantes, Escherichia coli, nos seguintes pontos, mensalmente durante os próximos 06 (seis) meses:
a. Na entrada e na saída dos reservatórios;
b. Na torneira de saída de todos os bebedouros;
c. Em uma das torneiras do setor de preparação de alimentos da cozinha;
d. Nas torneiras do berçário.

3.1 Complementarmente, deverão ser coletadas amostras em outros dois pontos alternados – área dos funcionários, refeitório e salas de aula. O local de coleta das amostras não deverá ser repetido no meses subsequentes.

4) Apresentar comprovantes de troca de todos os elementos filtrantes dos bebedouros/filtros instalados no local, após a higienização;

5) Instalar filtro na área da cozinha;

6) Retirar todos os equipamentos da área onde se localizava a produção artesanal de cerveja (geladeira e freezer);

7) Isolar a instalação hidráulica do brinquedo “Water Play”. Caso se decida pela manutenção do brinquedo ou qualquer outra destinação dada ao espaço que se apresente projeto para análise prévia e posterior aprovação pela Vigilância Sanitária;
a. Não utilizar, em nenhuma hipótese, água de recirculação de recreação.

8) Apresentar Procedimentos Operacionais Padrão atualizados/revisados para as seguintes atividades:
a. Limpeza de bancadas, banheiros e superfícies
b. Higienização dos brinquedos
c. Higienização das mamadeiras e chupetas
d. Higienização de mãos (antes e após as refeições, manipulação com as crianças)
e. Higiene pessoal para funcionários da creche

9) Apresentar Manual de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos atualizado/revisado;

10) Providenciar a mudança para o pavimento térreo da turma de 2 e 3 anos.

Após o cumprimento dos itens 8 e 9, a VISA agendará as palestras para os funcionários da creche abordando temas relacionados à manutenção de ambiente seguro em creches, bem como boas práticas de manipulação de alimentos.

Após a desinterdição, o estabelecimento deverá providenciar atualização do Projeto Básico de Arquitetura junto à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano. 


SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO