Prefeitura discute proibição de canudos plásticos


De: Secretaria de Gabinete
Texto: Jô Amado| Foto: Felix Falcão
Criado: 31 de agosto de 2018

O prefeito Max Filho reuniu-se com o presidente do Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindbares), Rodrigo Miguel Vervloet, a representante de Vila Velha no sindicato, Regina Maris, os secretários municipais de Serviços Urbanos e de Saúde, Marizete de Oliveira Silva e Jarbas Ribeiro de Assis Júnior, Flávia Maia Costa, da Vigilância Sanitária, e a subsecretária de Turismo, Neymara Carvalho, para avaliar o projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal em 21 de agosto que proíbe a utilização e fornecimento de canudos plásticos nos estabelecimentos, com multa prevista de cerca de R$ 2 mil. O encontro foi na tarde dessa quinta-feira (30), na sede da Prefeitura, em Coqueiral de Itaparica.

“Estamos abrindo o diálogo em torno de um tema importante, que é a transição dos canudos de plástico para os canudos de papel”, declarou o prefeito. “Trata-se de uma proposta aprovada na Câmara Municipal e nós estamos examinando todos os seus aspectos, os prós e contras, para construir uma alternativa que seja viável para a cidade, viável para os bares e restaurantes e viável, sobretudo, do ponto de vista da sustentabilidade econômica e ambiental.”

Embora contando com a simpatia da administração, o projeto de lei enfrenta algumas dificuldades. A secretária Marizete de Oliveira Silva destacou alguns pontos questionáveis, como a necessidade de um prazo maior para sua aplicabilidade, pela dificuldade de aquisição dos canudos de papel no mercado, pois há poucos fornecedores, o valor da multa e o fato de a lei não deixar claro a quem caberá a fiscalização. Jarbas Assis concordou com as ponderações e a subsecretária de Turismo ficou encarregada de estabelecer um diálogo com os vereadores autores do projeto – Bruno Lorenzutti e Mirim Montebeller – para tentar elaborar as necessárias adequações.

A Prefeitura tem até o dia 12 de setembro para enviar o parecer sobre a o projeto de lei à Câmara Municipal.
 


SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO