Mulheres vítimas de violência ganham centro de referência

De: Secretaria de Assistência Social
Texto: Jô Amado| Foto: Claudiano Gomes
Criado: 28 de dezembro de 2017

Com a presença do prefeito Max Filho, de vários secretários e subsecretários municipais e de diversas outras autoridades estaduais, municipais e da sociedade civil, foi inaugurado na manhã desta quinta-feira (28) o Centro de Referência Especializado em Atendimento à Mulher Vítima de Violência em Vila Velha (Cramvive).

Após os devidos agradecimentos, a secretária Ana Cláudia Simões relatou que a Secretaria de Assistência Social de Vila Velha (Semas) assumiu a gestão do Cramvive em abril de 2017. “A partir de maio, começamos um projeto-piloto e fizemos um levantamento revelador. Por busca espontânea ou por encaminhamento, foram atendidas 50 mulheres; 68% delas tinham entre 16 e 35 anos; 60% não tinham o ensino médio completo; 34% moram na Região 5; 45% eram solteiras; 72% tinham fonte de renda; 74% eram negras; 52% haviam sofrido violência contra seu corpo; e em 70% dos casos, as agressões foram motivadas por posse ou por ciúmes.” Ainda segundo a secretária, para alguém que tenha um conhecimento rudimentar de sociologia, esses dados evidenciam um sistema patriarcal.

O prefeito Max Filho revelou que, no ano de 2017, “o município deixou de receber recursos para a assistência social por não ter cumprido, no ano passado, com o compromisso dos investimentos nessa área”, e garantiu que o mesmo não voltará a ocorrer em 2018. O prefeito enfatizou a importância de combater a violência e fez uma analogia com os preceitos cristãos. “A nossa militância é a militância do amor, da fraternidade, da dignidade do ser humano. O único índice aceitável de violência é o índice zero”, acrescentou.



SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO