Vila Velha adota estratégia para reduzir casos de sífilis congênita

De: Secretaria de Saúde
Texto: Layla Ribeiro/Marcelo Martins| Foto: divulgação
Criado: 12 de agosto de 2017

A Prefeitura Municipal de Vila Velha (PMVV) promoveu nesta quinta-feira (10) capacitação sobre sífilis congênita às servidores que compõem a equipes de pré-natal da rede municipal de saúde, uma das ações que fazem parte do “Plano de Enfrentamento à Sífilis Congênita” no município.
 
Em 2017, Vila Velha registrou 60 casos de sífilis congênita e para mudar essa realidade foi criado o “Plano de Enfrentamento à Sífilis Congênita”, que consiste em uma série de esforços e ações que tem como foco a diminuição dos casos. Entre as estratégias, além da capacitação das equipes de pré-natal das Unidades de Saúde, constam também a criação do comitê de investigação da transmissão vertical, descentralização do tratamento, teste rápido de HIV, sífilis e hepatite B e C já na primeira consulta de pré-natal, implantação do pré-natal do homem, entre outras.
 
“A sífilis é uma doença infecciosa causada por bactérias que trazem problemas a longo prazo. É uma doença muito grave, principalmente se a mulher estiver grávida, porque o vírus pode ser transmitido para o bebê, o que pode causar má formação óssea ou cerebral no feto e até abortamento”, frisou o médico pediatra e infectologista Rodrigo Barroso, referência técnica do Programa de DST/AIDS da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).
 
A capacitação das equipes de pré-natal do município, primeira ação do “Plano de Enfrentamento a Sífilis Congênita”, contou com palestras de Rodrigo Barroso e Maria Aparecida Lube, referências do Programa de DST/AIDS da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Nádia Alencar, referência do Programa de Saúde da Mulher da Semsa, e Milena Murad, referência técnica da Vigilância Epidemiológica, também ligada a Semsa.

SERVIÇOS PARA

ACESSO RÁPIDO


VILA VELHA EM DIA